Aprendizado Espírita
Textos e ferramentas para aprender e divulgar o Espiritismo
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Meu Diário
05/01/2016 21h54
A - INTRODUÇÃO AO APRENDIZADO ESPÍRITA (IAP)

Eu sei, respondeu a mulher, que há de vir o Messias, chamado Cristo; quando ele vier nos anunciará todas as cousas. Disse-lhe Jesus: Eu o sou, eu que falo contigo.

(Jesus e a mulher samaritana. Evangelho de João, 4, 25-26) 


SUMÁRIO

CAPÍTULO I - APRESENTAÇÃO

     CAPÍTULO II - ADULTOS NÃO GOSTAM DE SER ENSINADOS

     CAPÍTULO III - FORMAS DE INTERAÇÃO E COMPARTILHAMENTO 

     MÓDULOS VINCULADOS


CAPÍTULO I - APRESENTAÇÃO


Amai-vos e instruí-vos.

(Mandamento dado a Allan Kardec pelo Espírito de Verdade)


1 - Objetivos

Com sua lógica rigorosa, simples, impresionante, ao alcance de todos, esse grande pensador não quis dirigir-se apenas a alguns eruditos ...

(P-G. LEYMARIE, Discurso pronunciado pelo aniversário de morte de Kardec)


Aprendizado Espírita é resultado da prática pessoal e da visão do autor quanto ao estudo, ao ensino e à divulgação do Espiritismo, e objetiva compartilhar textos, apresentações, técnicas, ferramentas, informações e referências sobre livros, cursos e sites para quem quer aprender a Doutrina Espírita e/ou divulgá-la por meio de reuniões de estudo, palestras ou textos didáticos.

A linguagem é simples e objetiva, os pontos resumidos, as lições didáticas e amigáveis, muitas vezes em tom de conversa. Não se quer ensinar, mas expor e trocar ideias, pensar e aprender juntos. Ou, como disse Emmanuel:

Recorda que, em Doutrina Espírita, é preciso estudar e aprender, entender e explicar.

O Mestre é Jesus. O professor é Kardec. Os auxiliares são os Espíritos protetores e os bons autores encarnados. Os aprendizes somos nós. A meta é aprender e praticar a Doutrina Espírita e o Evangelho de Jesus - segundo a condição, a vontade e o momento de cada qual.

Antônio Carlos Guimarães

Voltar


2 - Saber Doutrinário Espírita

Instrutor Guima

Caro(a) leitor(a),

Este site foi concebido e estruturado segundo o que o autor entende por Saber Doutrinário Espírita, qual seja

Conjunto das informações e do conhecimento, das experiências e das práticas, dos procedimentos e das técnicas acumulado pelos adeptos do Espiritismo no aprendizado teórico e na aplicação prática dos postulados de sua crença.

A gênese, o desenvolvimento e a gestão desse Saber Doutrinário Espírita estão sintetizados nos mapas mentais Visão e Gestão, que fazem parte deste ensaio: Gestão do Conhecimento e Doutrina Espírita.

Foi nessa perspectiva teórica que ordenamos as seções do site. E também será com fundamento nela que vamos desenvolver os textos e os estudos doutrinários, e apresentar técnicas e ferramentas de exposição, instrutoria e divulgação doutrinárias.

Voltar


3 - Estrutura do site "Aprendizado Espírita"

Confira a estrutura do site APRENDIZADO ESPÍRITA, montada em face do SABER DOUTRINÁRIO ESPÍRITA:  aqui.

Como se vê, o site foi dividido em 4 áreas, nas quais se distribuem 14 áreas temáticas. Nessas seções, os assuntos são agrupados por Módulos, e nesses por Séries, quando é o caso. 

Note-se que os materiais servem ao aprendizado espírita individual, realizado por iniciativa pessoal do adepto, como também para o aprendizado nas instituições espíritas. Nessas, deve-se atentar para este ponto fundamental:


Quanto à estrutura do site, na primeira área [CONTEXTO], faz-se uma breve contextualização dos fundamentos do Espiritismo, tomado como ponto de partida para a longa jornada do APRENDIZADO ESPÍRITA:

Na segunda [PREPARAÇÃO], estão os temas referentes aos preparativos para a empreitada:

Na terceira [TÉCNICAS E FERRAMENTAS], os recursos e meios necessários à consecução dos objetivos:

Na quarta [OBJETIVOS], e última, as metas que se procuram alcançar com o APRENDIZADO ESPÍRITA:

A cada uma das seções temáticas acima corresponde uma página eletrônica.

 

O acesso aos textos e lições é feito por meio dos links:

  • LATERAIS DAS PÁGINAS ELETRÔNICAS ---
  • ou pelo ÍNDICE DAS SEÇÕES (aqui)

Voltar


4 - Pedra de Toque

Herculano Pires escreveu que a obra de Kardec é a pedra de toque para aferir se alguma ideia, conceito ou prática trata-se de fato de doutrina espírita:

O símbolo da pedra de toque é usado (...) para representar a Codificação do Espiritismo. Qualquer novidade que apareça no meio doutrinário pode revelar a sua legitimidade ou a sua falsidade num simples toque dos seus princípios com os da doutrina codificada. (2)

Respeitando quem pensa, age ou prega de modo diferente, o critério acima é o que adotamos aqui.

Assim, simbolicamente, para nós, 

Jesus é a PEDRA ANGULAR — fundamentos proféticos, históricos e morais do Evangelho como a base em que se assenta o Espiritismo. (1)

Kardec, a Pedra de toque princípios doutrinários que testam as novidades do meio espírita. (2)

Herculano Pires, o metro medida da integridade da Doutrina Espírita codificada por Kardec. (3)

Deolindo Amorim, a lupa análise penetrante e exposição didática de pontos doutrinários sensíveis. (4)

Carlos Imbassahy, a pena defesa destemida dos postulados espíritas. (5)

  • Leia este texto: CUIDADOS COM OS "NOVIDADEIROS" - aqui

  1.  Caráter da Revelação Espírita. Capítulo I - A Gênese - Allan Kardec
  2. A Pedra e o Joio. São Paulo : Edições Cairbar, 2005, p. 4.
  3. Herculano é o metro que melhor mediu Kardec. Emmanuel
  4. Métodos didáticos na exposição espírita
  5.  A pena em defesa do Espiritismo

Voltar


5 - Lemas ou divisas

Há três lemas ou divisas que se aplicam ao Espiritismo:

  • MORAL - Trabalho, Solidariedade e Tolerância
  • RELIGIOSO - Fora da Caridade não há Salvação
  • CIENTÍFICONascer, viver, morrer, renascer ainda e progredir sempre. Esta é a lei.

Voltar


6 - Separar os livros bons dos maus, os verdadeiros dos falsos

Proibir um livro é dar mostras de que o tememos. O Espiritismo, longe de temer a divulgação dos escritos publicados contra ele e interditar sua leitura aos adeptos, chama a atenção destes e do público  para tais obras, a fim de que possam julgar por comparação.

(ALLAN KARDEC. Catálogo Racional das Obras para se Fundar uma Biblioteca Espírita)

Os que desejem tudo conhecer de uma ciência devem necessariamente ler tudo o que se ache escrito sobre a matéria, ou, pelo menos, o que haja de principal, não se limitando a um único autor. Devem mesmo ler o pró e o contra, as críticas como as apologias, inteirar-se dos diferentes sistemas, a fim de poderem julgar por comparação. Por esse lado, não preconizamos, nem criticamos obra alguma, visto não querermos, de nenhum modo, influenciar a opinião que dela se possa formar. Trazendo nossa pedra ao edifício, colocamo-nos nas fileiras. Não nos cabe ser juiz e parte e não alimentamos a ridícula pretensão de ser o único distribuidor da luz. Toca ao leitor separar o bom do mau, o verdadeiro do falso.

(ALLAN KARDEC. O Livro dos Médiuns, item 35)

Voltar


Instrutor Guima

É importante refletir sobre as afirmações de Kardec postas acima. 

De fato, não se pode temer nenhuma obra, cabendo ao leitor separar o bom do mau, o verdadeiro do falso.

E outro não é o propósito do Aprendizado Espírita, relativamente ao Saber Doutrinário Espírita (SDE). Ou seja: a missão das instituições espíritas e dos divulgadores do Espiritismo, a nosso ver, é:

Subsidiar o adepto com informações, conhecimentos e recursos filosóficos que lhe agucem o senso crítico e a capacidade de reflexão, análise e argumentação, e lhe confiram "autonomia doutrinária", isto é, postura ativa na aquisição do Saber Doutrinário Espírita e capacidade de discernimento em face de questões doutrinárias espíritas. 

Doutrina de liberdade e livre-escolha, a partir daí, ao indivíduo cabe a decisão de autotransformar-se — no momento, ritmo e intensidade em que for capaz.

Voltar


7 - Fidelidade doutrinária


Assim como se dá com o fenômeno da mediunidade, no qual distinguimos o mediunismo e outras práticas mediúnicas exercidas fora do Espiritismo (1), e com a Doutrina Espírita, que é espiritualista, possui pontos de contato, mas não se confunde com outras doutrinas espiritualistas, pois se apresenta com definições, práticas e particularidades que lhe são próprias (2), do mesmo modo ocorre com obras sobre temas do Espiritismo, de autores encarnados e desencarnados.

Nessa perspectiva, e repisando o que ficou dito acima, veja que há certas publicações que, conquanto possuam certos pontos de convergência com o Espiritismo, não são propriamente espíritas. É o caso, entre outras, de obras Roustaing, Ramatis, Rohden, Ubaldi (3). Assim também se dá com algumas instituições espiritualistas, cujas práticas assemelham-se às espiritas, mas dessas destoam em muitos aspectos. De outra parte, ocorre também um grande número de obras mediúnicas de má qualidade, sejam aquelas com uma visão fatalista — e antidoutrinária — do sofrimento, da dor e do carma, costumeiramente reforçada pela abordagem superficial e simplista do tema em romances mediúnicos e livros de mensagens, sejam aquelas outras com descrições fantasiosas do mundo espiritual, de revelações de reencarnação de personagens históricas ou de notícias do passado e do futuro da humanidade.

Mas fique claro, também, que esse é o nosso ponto de vista (aqui) e que pessoas e instituições têm, como é evidente, liberdade de escolher seus os caminhos, a forma de espiritualizar-se e a maneira como veem o Cristo. (4)

Finalmente, registre-se que ideias e opiniões expressadas nos artigos assinados ou em transcrição de livros ou textos eletrônicos são de responsabilidade de seus autores, não representando, necessariamente, a aprovação ou apoio do Aprendizado Espírita, que os seleciona segundo sua serventia doutrinária ou retórica, ou, ainda, em razão de comentários, informações, divulgação, estudos ou argumentação. De igual modo isso ocorre com a citação ou indicação de obras ou de links eletrônicos para sites, portais, revistas,  artigos, cursos, apostilas, vídeos.


(1) Considerem-se estas distinções fundamentais, por exemplos:

  • MEDIUNIDADE: Faculdade para relacionar-se com os Espíritos. É inerente ao homem e de todos os tempos e lugares. Seu exercício, no Espiritismo, se faz com base nas lições de Kardec e ao amparo dos ensinos de Jesus.
  • ANIMISMO: Neologismo para significar que a alma do médium pode comunicar-se como a de qualquer outro, pois, se há certo grau de liberdade, recobra suas qualidades de Espírito. Na prática espírita, trata-se de um estado de transe, no qual quem opera, produzindo fenômenos psíquicos e mesmo de efeitos físicos, é o Espírito do próprio encarnado e não um Espírito desencarnado.
  • MEDIUNIDADE E ANIMISMO FORA DO ESPIRITISMO: Vejam-se a ocorrência de fenômenos espíritas (mediúnicos e anímicos) na Bíblia, no Cristianismo Primitivo, nas Igrejas Pentecostais, nos Grupos Carismáticos Católicos, na Canalização, na Projeciologia.
  • MEDIUNISMO: Formas primitivas de mediunidade, que fundamentam as crenças e religiões primitivas. (A. Aksakof). Uso mediunidade fora das regras de segurança aconselhadas pelo Espiritismo. 

(2) Veja-se DEOLINDO AMORIM: O Espiritismo e as doutrinas espiritualistas, Guignone Editora.

(3) Vejam-se: HERCULANO PIRES (O verbo e carne, Edições Cairbar; A pedra e o joio, Paideia)  e ARY LEX (Pureza doutrinária, Edições FEESP)

(4) Descrição da primeira manifestação de Francisco de Paula Vítor, em 1938, na cidade de Lambari, na fundação do centro espírita que mais tarde levaria o seu nome:

Numa noite memorável, no pequeno centro fundado pelos irmãos portugueses Antônio  e Manoel Vidal, em Lambari (MG), Francisco de Paula Vítor (Padre Vítor)... ressurge dos mortos para provar a existência da Verdadeira Vida e para conclamar os trabalhadores de todas as searas do Cristo (a fim de realizar) a parte que lhes cabe na fundação do Reino de Deus na Terra.

E Paula Vítor esclarece que, atuando do Mundo Maior, já se tornara pastor e educador não apenas dos irmãos de confissão católica, e sim também de todos aqueles que buscam o Reino de Deus pela senda que seja, visto que Jesus ensinara que nenhuma das Suas ovelhas se perderia.

Fonte: Abigail  [Mediunidade e redenção] (aqui)

Voltar


8 - Estude e Viva

 

Estude e viva (...) A reunião espírita (...) define-se como sendo assembleia de fraternidade ativa, procurando na fé raciocinada a explicação lógica dos problemas da vida, do ser e do destino. Todos somos chamados a participar dela. Falar e ouvir. ENSINAR E APRENDER (...) Capacitemo-nos de que o estudo reclama esforço de equipe. E a vida em equipe é disciplina produtiva, com esquecimento de nós mesmos, em favor de todos. (...) Somos trazidos à escola espírita, a fim de auxiliarmos e sermos auxiliados, na permuta de experiências e na aquisição de conhecimento."

Estude e viva. Emmanuel/André Luiz/F. C. Xavier


9 - Mensagem

Espiritismo

(...) Religião do amor e da esperança, pábulo eucarístico pelo qual o homem pode comungar com a imortalidade, é o lenitivo para a saudade do desconforto ante a ausência dos seres amados que o túmulo arrebatou, mas não lhes conseguiu silenciar a voz; esperança dos padecentes que sofrem as ácidas angústias de hoje, com os olhos fitos na esplendorosa visão do amanhã, que lhes está nas mãos apressar e construir; praia de paz, na qual repousam em dinâmica feliz os nautas aflitos e cansados de trânsito difícil no mar das lutas carnais; santuário de refazimento através da prece edificante; escola de almas, que aprendem no estudo das suas informações preciosas e das suas lições insuperáveis a técnica de viver para fruírem a benção de morrer nobremente; hospital de refazimento para os trânsfugas do dever, que nele encontram o bálsamo para a chaga física, mental ou moral; todavia, recebem a diretriz para amar e perdoar, a fim de serem perdoados e amados pelos que feriram e infelicitaram; "colo de mãe" generosa é o amparo da orfandade, preparando-a para o porvir luminoso, já que ninguém é órfão do amor do nosso Pai; abrigo da velhice, portal que logo abrirá de par-em-par a aduana da Imortalidade; oficina de reeducação onde a miséria desta ou daquela natureza encontra a experiência do trabalho modelador de caracteres a serviço das fortunas do amor; traço de união entre a criatura e o Criador, religiando-os e aproximando-os, até que a plenitude da paz possa cantar em cada criatura, à semelhança do que o Apóstolo das Gentes afirmava: Já não sou eu o que vivo, mas é o Cristo que vive em mim. (Gál 2:20)

Manoel Philomeno de Miranda/Divaldo Franco. Nos Bastidores da Obsessão

Voltar


10 - Biblioteca Digital

  • Veja obras espíritas disponíveis on-line (aqui)

Voltar


CAPÍTULO II - ADULTOS NÃO GOSTAM DE SER ENSINADOS


Educar o homem não é encher um pote ... é acender um fogo.   
(ARISTÓFANES) 423, aC.


Instrutor Guima

Pessoas adultas não gostam de ser ensinadas.

Mas gostam de aprender, nos diz a Andragogia. Mas não aprendem com "professores", pois não gostam de "ouvir passivamente", e sim de construir/reconstruir o conhecimento. Preferem em lugar da "falação do instrutor" a "ação do treinando".

Assim, o "professor" tornou-se facilitador, provedor de meios para a aprendizagem.

"Ensinar é fazer aprender", e não mais simplesmente passar conteúdos. Agora, o instrutor ― antigo "repositório de saber" ― é mediador, é motivador, é parceiro do processo de ensino-aprendizagem.  

Por isso, o propósito destes modestas lições do Aprendizado Espírita não é ensinar doutrina espírita, ou teoria e prática de comunicação, ensino e treinamento, gestão do conhecimento e gerência.

E sim trazer para compartilhamento, exame e conversação on-line pontos básicos desses saberes na forma de resumos práticos, em que a teoria é essencial e esquematizada; a linguagem é simples e direta; o tom é didático ― muitas vezes em jeito de conversa.

NOTA: Veja estes textos:

  • Quem administra gosta de coisas práticas e úteis - (aqui)
  • Construir nossas próprias teorias - (aqui)

Voltar


CAPÍTULO III - FORMAS DE INTERAÇÃO E COMPARTILHAMENTO


Instrutor Guima

Caro(a) leitor(a),

Comentários, críticas e dúvidas poderão ser encaminhados conforme abaixo.

Os comentários somente serão postados após liberação pelo autor.

Periodicamente, os comentários mais relevantes e as respostas às dúvidas mais frequentes serão postados pelo autor por meio da ferramenta Comentar/Ver comentários do site.


Contato com o site: 

Contato com o autor

  • envie mensagem para este e-mail: guimalam@hotmail.com 

Postar comentários sobre textos do site:

  • utilize esta ferramenta que está ao pé do texto: Comentar/Ver comentários 

Compartilhar textos via Facebook, Twitter, G+1)

  • utilize uma das ferramentas indicadas:

Voltar


MÓDULOS

Instrutor Guima

Caro(a) leitor(a),

Os módulos vinculados a esta Seção A - INTRODUÇÃO AO APRENDIZADO ESPÍRITA (IAP) estão nos links abaixo.


H1 - MÓDULO Estudar e aprender melhor

Informações e dicas sobre estudo a distância, planejamento de atividades e horários, estudo em grupo e personagens-instrutores, neste link: H1 - MÓDULO Estudar e aprender melhor


H2 - MÓDULO Ler e escrever melhor

Informações e dicas sobre métodos e técnicas de leitura e sobre a língua portuguesa e redação, neste link: H2 - MÓDULO Ler e escrever melhor

Voltar


 

 

 

 


Publicado por ALGuimaraes em 05/01/2016 às 21h54

Os Curadores do Senhor R$20,00
Abigail [Mediunidade e redenção] R$20,00
Menino-Serelepe R$20,00