Aprendizado Espírita
Textos e ferramentas para aprender, ensinar e divulgar o Espiritismo
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


Ilustração: Montagem. Capas de livros sobre descobertas recentes de fatos desconhecidos da história do Espiritismo
NOVAS INFORMAÇÕES HISTÓRICAS SOBRE A CONSTITUIÇÃO DO ESPIRITISMO - PARTE 1

SUMÁRIO


     - Apresentação
     - Mesmer e o Espiritismo
     - As descobertas que recontam a história do Espiritismo
     - A infância, educação e formação de Rivail
     - O nome civil de Allan Kardec
     - Traidores de Allan Kardec
     - Perda de documentos históricos do Espiritismo
     - Amélie Boudet - Madame Kardec
     - Declínio do movimento espírita francês pós Kardec
     - Alterações em A Gênese, de Allan Kardec
      - PARTE 2 - AQUI
     - PARTE 3 - AQUI

Apresentação

Considerando-se que o Espiritismo está sendo chamado, incontestavelmente, a desempenhar um grande papel na História, é importante que esse papel não seja desnaturado, e que seja mostrada a história autêntica, em oposição às histórias apócrifas que o interesse pessoal poderia fabricar. 

Quando aparecerá ela? Não será tão cedo, e talvez não em nossa vida, pois não se destina a satisfazer à curiosidade do momento. Se dela falamos por antecipação, é para que ninguém se equivoque quanto ao seu objetivo e seja anotada a nossa intenção. Aliás, o Espiritismo está em seu começo, e muitas outras coisas acontecerão até lá. Então, é preciso esperar que cada um tenha tomado o seu lugar, certo ou errado. 
 
ALLAN KARDEC. O que deve ser a história do Espiritismo. RE, outubro/1862

Novas pesquisas, livros ressurgidos, personagens olvidados, documentos originais e obras recentes trazem à luz fatos inéditos da história do Espiritismo, na França e no Brasil, sobre o que fizemos pequeno resumo e indicamos artigos e livros em que esses temas são desenvolvidos.

Como tratamos neste estudo de pontos graves, sensíveis e controvertidos, que têm sido objeto de intensas discussões, debates acalorados e múltiplas dissensões, é importante relembrar a filosofia de ensino/aprendizagem do Espiritismo pela qual este site propugna:

Veja aba Introdução ao Aprendizado Espírita na lateral desta página eletrônica

E desse modo deixar que o leitor destas páginas se instrua, tire suas próprias conclusões e assuma, com autonomia doutrinária, sua posição diante dos temas.
Este estudo foi dividido em 3 partes. Esta é a Parte 1.

Os links para acessar as Partes 2 e 3 estão no
SUMÁRIO acima e também ao final deste post.

 
As descobertas que recontam a história do Espiritismo

Quanta luz está sendo lançada sobre aquele período relativamente obscuro caracterizando o movimento pós-Kardec. Quantas informações estão sendo desvendadas: fatos, conversas, particularidades, momentos, reuniões, ações que definiram, por algum tempo a caminhada da Doutrina.

Quantas lutas foram travadas, para não se deixar apagar a luz acendida por Allan Kardec através de seu incansável e insuperável esforço e dedicação de uma vida, luz esta que, assim o cremos, deverá iluminar a humanidade em futuro que almejamos esteja bem próximo? 
 
ROGÉRIO MIGUEZ. Prefácio. As influenciações no Espiritismo pós-Allan Kardec

As investigações históricas, as novas ferramentas eletrônicas de pesquisa, a digitalização de obras e documentos raros, os livros de Paulo Henrique de Figueiredo, de Simoni Privato Goidanichi e Adriano Calsone, o acesso ao acervo espírita de Canuto Abreu (documentos históricos e cartas originais de Allan Kardec), a localização e tradução de obras esquecidas sobre o magnetismo e os primórdios do movimento espírita na França, tudo isso tem o potencial de recontar boa parte da história do Espiritismo.

Abaixo comentamos brevemente aspectos importantes decorrentes dessas novas informações e fatos históricos acerca do Espiritismo, e disponibilizamos links eletrônicos para livros, artigos e vídeos, estimulando o leitor a que prossiga no estudo de temas tão relevantes.

            
     
Mesmer e o Espiritismo

Escondidas, silenciadas e deturpadas por mais de dois séculos, a história e a obra de Anton Mesmer foram resgatadas por Paulo Henrique de Figueiredo no livro Mesmer - A ciência negada do magnetismo animal, Editora Maat, 4a. edição, 2017, do qual se destacam os seguintes pontos:



A biografia completa de Franz Anton Mesmer
Mesmer e o espiritualismo
Magnetismo e espiritismo
Magnetismo e homeopatia
Tradução de livros de Mesmer
(por Álvaro Glerean)

 

Veja:

- Mesmerismo e Espiritismo - 26/02/2016 - Jáder dos Reis Sampaio - aqui

- Mesmer – A ciência negada do Magnetismo Animal - 10/98/2018 - TV Mundo Maior - aqui

 - A primeira edição de Mesmer - A ciência negada do magnetismo animal, de Paulo Henrique de Figueiredo, está disponível aqui
 
A infância, educação e formação de Rivail

No livro Revolução espírita - A teoria esquecida de Allan Kardec, de Paulo Henrique de Figueiredo - Parte 2 - Educação e autonomia, há novas informações sobre a família e os primeiros anos de Rivail.



Nascido em Lyon, a infância de Kardec se passou na cidade campestre de Bourg-en-Bresse na França.

Terceiro filho de três irmãos, que morreram muito cedo, Kardec viveu em um ambiente de amplo acesso a cultura e contato muito grande com a natureza.

Sua família não era pobre e seu pai  não foi um jurista, e sim ocupava uma função militar no exército de Napoleão.

O pai de Rivail desapareceu numa batalha em Portugal, quando Rivail tinha entre 2 e 3 anos

Ele foi criado pela mãe como filho único e por ela foi levado a Yverdon, para estudar com Pestalozzi

Os recursos da família possibilitaram a Rivail estudar fora da França, morar em Paris e iniciar sua carreira de pedagogo (obras, docência, fundação de escolas, etc.)
 

Veja:

- A infância de Kardec: curiosidades - 01/07/2016 -revolucaoespirita.com.br - aqui

- A Infância de Allan Kardec [Vídeos 1, 2 e 3] - 23/02/2017 - TV Mundo Maior - aqui
     

O nome civil de Allan Kardec

Pesquisas empreendidas por Simoni Privato Goidanichi nos Archives Nationales de France constataram diferentes grafias do nome civil de Allan Kardec: no testamento (em 1846) e na certidão de óbito (em 1869). A incongruência foi levada aos tribunais, que, no dia 1o. de maio de 1869, decidiu pela grafia: Denisard Hipollyte Léon Rivail.


Confira:


- Na certidão de óbito constava (1o./abril/1869) : Léon Hipollyte Denisard Rivail
- No testamento de Rivail para Amélie (24/04/1846): Hipollyte Léon Denizard Rivail
- Na decisão judicial (1o./maio/1869): Denisard Hipollyte Léon Rivail




Nome civil de Rivail no atestado de óbito (1o./abril/1846)



Nome civil de Rivail no testamento (24/abril/1846)



Nome civil de Rivail na decisão judicial de 1o. de maio de 1869
  Os traidores de Kardec
         
Por melhor que seja uma instituição social, se os homens são maus, eles a desvirtuarão e lhe deformarão o espírito para a explorarem em proveito próprio. Quando os homens forem bons, organizarão boas instituições, que serão duráveis, porque todos terão interesse em conservá-las.
 
ALLAN KARDEC

Eu estou hoje num estado desprezível; a que isso se deve? Ignoro. Contrariado o dia todo, e por conseguinte de mau humor. Se é minha falta, dai-me eu vos peço, a força de apartar a causa; se é uma má influência, dai-me força para a repelir. Se é uma prova, que ela sirva a minha humildade; se é como instrução, dai-me a luz necessária para descobrir. Eu não tenho o espírito livre; estou confuso, infeliz, cheio de ansiedade. Em nome de Deus Todo Poderoso, Espírito de Verdade, eu te peço para restaurar a minha calma e me inspirar as melhores resoluções a tomar. Faça com que durante meu sono eu venha a me retemperar e a me fortalecer entre os bons Espíritos e assim restabelecer ao meu despertar uma intuição saudável.
 
(Trecho de carta inédita de Allan Kardec - 
Fonte: www.espirito.org.br)

Na administração da Sociedade de Paris e na direção do movimento espírita nascente, Allan Kardec teve de enfrentar diversos companheiros que queriam mudar a orientação dada por ele aos rumos do Espiritismo. Em razão disso, chegou mesmo a propor sua saída da direção da sociedade.

O Codificador fora advertido muitas vezes pelos Espíritos das dificuldades a serem enfrentadas pelo Espiritismo em sua implantação, quer por inimigos externos, quer por internos. E entre esses estavam companheiros próximos e continuadores de sua obra.



Aliás, o Espirito Erasto, em 1863, deixara registrado que os ataques à doutrina se intensificariam, que embustes e ciladas seriam armados, que calúninas seriam assacadas, que essa guerra surda seria muito mais perigosa porque perpetrada por mãos amigas... (que) agirão na sombra.

Veja a seguir:

Guerra Surda. Espírito Erasto.
Paris, 14 de agosto de 1863


A luta vos espera, meus caros filhos. Eis por que vos convido a todos a imitar os lutadores antigos, isto é, a cingir os rins. Os próximos anos são plenos de promessas, mas também de ansiedades. Não venho dizer: Amanhã será o dia da batalha! Não, porque a hora do combate ainda não está fixada, mas venho advertir-vos, a fim de que estejais prontos para todas as eventualidades. 

Até agora o Espiritismo só encontrou uma rota fácil e quase florida, porque as injúrias e as troças que vos dirigem não têm nenhum alcance sério e ficaram sem efeito, ao passo que de agora em diante os ataques que forem dirigidos contra vós terão um caráter totalmente diverso: eis que vem a hora em que Deus apelará a todos os devotamentos, em que vai julgar seus servidores fiéis, para dar a cada um a parte que tiver merecido. 

Não sereis martirizados fisicamente, como nos primeiros tempos da Igreja; não erguerão fogueiras homicidas, como na Idade Média, mas vos torturarão moralmente; levantarão embustes; armarão ciladas, tanto mais perigosas quanto usarão mãos amigas; agirão na sombra e recebereis golpes, sem saber por quem são vibrados, e sereis feridos em pleno peito pelas flechas envenenadas da calúnia. 

Nada faltará às vossas dores; suscitarão defecções em vossas fileiras, e supostos espíritas, perdidos pelo orgulho e pela vaidade, exibirão a sua independência, exclamando: ‘Somos nós que estamos no reto caminho!’ 

Tentarão semear joio entre os grupos, provocando a formação de grupos dissidentes; captarão os vossos médiuns, para fazê-los entrar num mau caminho e para desviá-los dos grupos sérios; empregarão a intimidação para uns e o fascínio para outros; explorarão todas as fraquezas. Depois, não esqueçais que alguns viram no Espiritismo um papel a desempenhar, e um importante papel, e que hoje experimentam mais de uma desilusão em sua ambição. Prometer-lhes-ão encontrar de um modo, o que de outro modo não podem encontrar. Depois, enfim, com o dinheiro, tão poderoso no século passado, não poderão encontrar comparsas para representar indignas comédias, a fim de lançar o descrédito e o ridículo sobre a doutrina? 

Eis as provas que vos esperam, meus filhos, mas das quais saireis vitoriosos, se do fundo do coração implorardes o socorro do Todo-Poderoso. Eis por que vos repito de todo o coração: Meus filhos, cerrai vossas fileiras, ficai vigilantes, porque é o vosso Gólgota que vem em seguida, e se não fordes crucificados em carne e osso, sê-lo-eis em vossos interesses, em vossas afeições, em vossa honra! 

A hora é grave e solene. Para trás, então, todas as mesquinhas discussões, todas as preocupações pueris, todas as perguntas ociosas e todas as vãs pretensões de preeminência e de amor próprio. Ocupai-vos dos grandes interesses que estão em vossas mãos e cujas contas o Senhor vos pedirá. Uni-vos para que o inimigo encontre vossas fileiras compactas e cerradas. Tendes uma contrassenha sem equívoco, pedra de toque com o auxílio da qual podeis reconhecer vossos verdadeiros irmãos, pois essa palavra implica abnegação e devotamento e resume todos os deveres do verdadeiro espírita. 

Coragem e perseverança, meus filhos! Pensai que Deus vos olha e vos julga. Lembrai-vos também que os vossos guias espirituais não vos abandonarão enquanto vos achardes no caminho certo. 

Aliás, toda esta guerra só terá um tempo e voltar-se-á contra os que julgavam criar armas contra a doutrina. O triunfo, e não mais o holocausto sangrento, irradiará no Gólgota espírita. 

Até breve, meus filhos. 

Saudações a todos! 

ERASTO, discípulo do apóstolo São Paulo.

 
Fonte: Revista Espírita. Dez/1863 

Veja:

- Os inimigos do Espiritismo (França) - 27/09/2011 - Maria das Graças Cabral - aqui

- Leymarie, um vilão (?) - pág. 137 do livro Muita luz,  de Berthe Fropo, disponível aqui

Pierre-Gäetan-Leymarie - 11/07/2018 - Trecho de palestra de Paulo Henrique de Figueiredo - aqui

- Veja também o livro Em nome de Kardec, de Adriano Calsone, referido na Bibliografia (Parte 3 deste estudo).

 
Perda de documentos históricos do Espiritismo
 
Por mim pessoalmente muito pouco me inquietaria, se meu nome não estivesse de agora em diante ligado intimamente à história do Espiritismo. Por minhas relações, naturalmente, possuo a respeito os mais numerosos e autênticos documentos que existem; pude acompanhar a doutrina em todo o seu desenvolvimento, observar-lhe todas as peripécias, como lhe prever as consequências.
 
ALLAN KARDEC, Revista Espírita, 1862, p. 179

Como sabemos, Allan Kardec guardava escrupulosamente a documentação em que se baseou para confeccionar a obra institucional do Espiritismo, e sobre esse fato escreveu diversas vezes.

Mas boa parte desse acervo se perdeu, inclusive, quadros e obras raras com que pretendia montar o museu da história do Espiritismo. 

Continuadores de Kardec queimaram documentos e leiloaram livros raros, quadros e desenhos espíritas. Muita coisa se perdeu — ou foi roubada ou destruída —  por ocasião das duas guerras mundiais que devastaram a Europa. O rescaldo desses documentos foi salvo por Canuto Abreu, e fazem parte do seu acervo, que a família preservou e recentemente confiou à FEAL (Fundação Espírita André Luiz).


Confira.

Veja:

- O legado documental de Allan Kardec: queimado, escondido ou leiloado? - 17/07/2016. João Donha - aqui

- Denúncia: arquivos e correspondências de Allan Kardec foram incinerados, prejudicando o resgate histórico do Espiritismo -  01/09/2016 - Paulo Henrique de Figueiredo - aqui
Amélie Boudet, Madame Kardec
 
Viúva Kardec, acabrunhada, passou a ser extremamente desrespeitada por aqueles mesmos “amigos” íntimos do mestre, sendo, inclusive, assediada moralmente pelo seu mandatário, o senhor Pierre-Gaëtan Leymarie, que foi o braço direito do mestre. Leymarie, como teósofo e roustenista convicto, sentiu-se “o sucessor de Kardec” sem o ser, o que o levou a subestimar as iniciativas espíritas da idosa viúva, a ponto de ignorá-la completamente como a responsável pela Revista Espírita, pela Livraria Espírita e demais ações que criou e desempenhou, onde seguia como a detentora do legado kardeciano.

ADRIANO CALSONE. Entrevista. clubedolivroemmanuel.com.br. 25/11/2018

O livro Madame Kardec - A história que o tempo quase apagou, de Adriano Calsone, traz informações inéditas da biografia de Amélie-Gabrielle-Boudet e resgata fatos históricos do Espiritismo na França, ocorridos logo após morte de Allan Kardec, como estes:


 
A existência de um irmão de Amélie, que nenhum biografia anterior havia registrado (Julien François Boudet)

A dedicação de Amélie para preservar o legado de Allan Kardec (as obras, a revista, a livraria, a sociedade de Paris)

Os desvios perpetrados por antigos companheiros de Kardec, que assumiram o controle da Sociedade Anônima para a Continuação das Obras Espíritas de Allan Kardec, em face da doutrina codificada, das obras espíritas, da livraria espírita, da Revue Spirite (Revista Espírita) e do movimento espírita francês (Teosofia de Blavatsky, d'Os quatro evangelhos de Roustaing, da Sociedade da Pneumatologia Universal)

O tratamento dado pelos companheiros de Kardec a Amélie, que a cercearam, humilharam e afastaram das decisões quanto aos rumos do Espiritismo pós-Kardec

O papel de amigos de Amélie (Berthe Fropo, Gabriel Dellane, Leon Denis), que a assistiram e ajudaram a fundar a União Espírita Francesa e o periódico Le Spiritisme (O Espiritismo), na tentativa de preservar o legado de Kardec


A incineração (feita por Leymarie e Vautierdiretores da Sociedade Anônima) de parte do acervo de textos, extratos, manuscritos, cartas de Kardec, que Amélie organizara

O esbulho dos bens deixados por Amélie, desencarnada em 1883, por parte de Leymarie e seus herdeiros.
Declínio do movimento espírita pós Kardec
 
Que coragem destes poucos levantando uma bandeira de insatisfação diante de tantos desmandos e descalabros efetuados por um pequeno grupo de ditos espíritas, que por pouco não apagaram a luz da Doutrina, entretanto, se não o fizeram, provocaram, com seus atos: uns levianos, outros irresponsáveis, alguns ignorantes, prejuízo enorme ao bom andamento do Espiritismo, visto que, na própria França, a obra hercúlea de Allan Kardec caiu em descrédito.
 
ROGÉRIO MIGUEZ. Prefácio. As influenciações no Espiritismo pós-Allan Kardec
De qualquer maneira, a partir do momento em que Delanne e Denis conseguiram uma justa notoriedade, dentro do seio do movimento espírita, o cenário melhora sensivelmente. Realmente, a partir de então, haverá uma significativa revivescência do movimento espírita francês até meados da década de 1920, quando Denis, Delanne e também Gustave Geley e Camille Flammarion desencarnam. 

LEONARDO MARMO MOREIRA. Os Problemas enfrentados pelo Movimento Espírita após a morte de Allan Kardec e as atuações de Delanne e Denis

Logo após a desencarnação de Allan Kardec (31/03/1869), várias ocorrências, quer na gestão do movimento espírita, quer no cenário político-social da França e da Europa,  afetaram o desenvolvimento do Espiritismo, desviando-o dos propósitos do Codificador.

Esse processo resultou, já no começo do século XX, no enfraquecimento e, por fim, no quase completo desaparecimento do Espiritismo, tanto na França — seu berço — quanto no restante da Europa e, por consequência, em outras partes do mundo — à exceção do Brasil, País em que a doutrina espírita fincou raízes.



Confira.

Fonte: Espiritismo à Francesa: a derrocada do Movimento Espírita Francês pós-Kardec - 20/01/2018 - Portal Luz Espírita

Veja:

- Movimento espírita Pós Kardec - episódios e declínio doutrinário na França - 18/02/2017Jorge Hessen  - aqui

- Os Problemas enfrentados pelo Movimento Espírita após a morte de Allan Kardec e as atuações de Delanne e Denis - 13/02/2017 -  Leonardo Marmo Moreira - aqui

- Espiritismo à Francesa: a derrocada do Movimento Espírita Francês pós-Kardec - 20/01/2018 - Portal Luz Espírita - aqui
 

Alterações em A Gênese, de Allan Kardec

Todos nós sabíamos que havia uma sociedade espírita, fundada para a continuação das obras de Allan Kardec, e nela confiávamos que cuidasse da integridade da herança moral que nos foi deixada pelo mestre. O que ignorávamos é que ao lado dela, talvez até na sua sombra, se organizasse uma outra para a corrupção das obras fundamentais da nossa doutrina, e esta última, não apenas existe, mas pode ainda continuar com sua triste tarefa.
 
HENRI SAUSSE. A infâmia. Le Spiritisme - dez/1884
Para nós, acima dos espíritas de todo o mundo, está o Espiritismo.

JOSÉ MARIA FERNÁNDEZ COLAVIDA. Revista Espírita. Periódico de Estudos Psicológicos. Barcelona, abril de 1872

A antiga polêmica quanto às alterações da 5a. edição de A Gênese, de Allan Kardec, de 1872, iniciada com o artigo de Henri Sausse (Infâmia, in Le Spiritisme dez/1884), voltou à baila por ocasião dos 150 anos do lançamento da última obra editada por Allan Kardec, à vista de novas pesquisas, descobertas e obras, o que pode ser verificado mediante os textos e vídeos abaixo:

Veja:

Artigo "Uma Infâmia - Henri Sausse - Le Spiritisme - dez/1884aqui

- Tradutor, traidor - 28/03/2012 - Sérgio Aleixo - aqui

- 150 anos de A Gênese - a fidedignidade das primeiras edições - 24/12/20187 -  Antonio Cesar de Perri Ribeiro - aqui

Fatos pós-Kardec na França e as primeiras edições francesas de A Gênese. Resenha do livro El legado de Allan Kardec - 05/01/2018-  Antonio Cesar de Perri Ribeiro - aqui

A POLÊMICA sobre a obra “A GÊNESE - 27/01/2018 -  Cosme Massi - aqui

- A polêmica da Gênese - 04/02/2018 - blogabpe.org - aqui


- 150 anos de A Gênese, de Allan Kardec e o Escândalo Inevitável - 20/03/2018 - Cristina Sarraf - aqui

- Provas das adulterações de Leymarie em "A Gênese" - 04/07/2018 - Simoni Privato - aqui

- A Gênese: provas confirmam que Kardec não fez as mudanças contidas na 5ª edição francesa - 18/03/2018 - Wilson Garcia - aqui

A Gênese - Edição definitiva - 29/01/2018 - Nota da FEB - aqui


- A Gênese, por Cosme Massi, e a pesquisa de Simoni Privato - 14/03/2019 -  Antônio Leite/GEAL - aqui

- Alteração nos estatutos da FEB - 12/08/2019 - aqui

- 
Artigo de Wilson Garcia trata do seguinte tema:

 
Como fica a doutrina espírita após a retirada, neste dia 10 de agosto de 2019, do artigo sobre as obras de J.-B. Roustaing, dos Estatutos da Federação Espírita Brasileira? 
     
- A festa, o embate e a razão
- 12/08/2019 - Wilson Garcia - aqui
 
Voltar
NOVAS INFORMAÇÕES HISTÓRICAS
SOBRE A CONSTITUIÇÃO DO ESPIRITISMO
 


PARTE 2 - AQUI

PARTE 3 - AQUI
ALGuimaraes
Enviado por ALGuimaraes em 06/08/2019
Alterado em 12/08/2019


Comentários

Os Curadores do Senhor R$20,00
Abigail [Mediunidade e redenção] R$20,00
Menino-Serelepe R$20,00