Aprendizado Espírita
Textos e ferramentas para aprender e divulgar o Espiritismo
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Meu Diário
05/01/2016 21h46
I - MPE - METODOLOGIA E PESQUISAS ESPÍRITAS

Estamos defrontados no Espiritismo por uma tarefa urgente: desentranhar o pensamento vivo de Allan Kardec dos princípios que lhe constituem a codificação doutrinária, tanto quanto ele, Kardec, buscou desentranhar o pensamento vivo do Cristo dos ensinamentos contidos no Evangelho. 

(ANDRÉ LUIZ. Estude e viva)


SUMÁRIO

APRENDIZADO ESPÍRITA

CAPÍTULO I - METODOLOGIA E PESQUISAS ESPÍRITAS

​​MÓDULOS VINCULADOS

​LINKOTECA

VIDEOTECA

BIBLIOTECA DIGITAL

BIBLIOGRAFIA


APRENDIZADO ESPIRITA

Amai-vos e instruí-vos.

(Mandamento dado a Allan Kardec pelo Espírito Verdade)


Aprendizado Espírita é resultado da prática pessoal e da visão do autor quanto ao estudo, ao ensino e à divulgação do Espiritismo, e objetiva compartilhar textos, apresentações, técnicas, ferramentas, informações e referências sobre livros, cursos e sites para quem quer aprender a Doutrina Espírita e/ou divulgá-la por meio de reuniões de estudo, palestras ou textos didáticos.

Este site foi concebido e estruturado segundo o que o autor entende por Saber Doutrinário Espírita, qual seja

Conjunto das informações e do conhecimento, das experiências e das práticas, dos procedimentos e das técnicas acumulado pelos adeptos do Espiritismo no aprendizado teórico e na aplicação prática dos postulados de sua crença.

Para saber mais sobre o conceito de 

  • SABER DOUTRINÁRIO ESPÍRITA, a
  • GESTÃO DO CONHECIMENTO ESPÍRITA e a
  • ESTRUTURA DESTE SITE,​​​ clique (aqui)

Antônio Carlos Guimarães

Voltar


CAPÍTULO I - METODOLOGIA E PESQUISAS ESPÍRITAS


Introdução

O Espiritismo não é doutrina feita para sábios, mas para todos os que tenham um pouco de bom senso e de humildade.

............................

As obras de Kardec são a única fonte verdadeira do saber espírita. Quem não ler e estudar essas obras com humildade e com vontade legítima de aprender, não conhece o Espiritismo. 

(J. HERCULANO PIRES. Kardec e a Ciência Espírita In O Mistério do Bem e do Mal)


Hipollyte Léon Denizard Rivail, como professor, pedagogo e diretor de escolas, havia adquirido no estudo, nas atividades teóricas e na prática, o mais amplo conhecimento dos problemas culturais do seu tempo.

De cultura acima do normal nos homens ilustres de sua idade e do seu tempo, impôs-se ao geral respeito desde moço. Temperamento infenso à fantasia, sem instinto poético nem romanesco, todo inclinado ao método, à ordem, à disciplina mental, praticava na palavra escrita ou falada, a precisão, a nitidez, a simplicidade, dentro dum vernáculo perfeito, escoimado de redundâncias.  (1)

Em meados do Século XIX, diante dos fenômenos espíritas que ocorriam com intensidade e por toda a parte, Rivail, que há tempos se interessara pelo Magnetismo, resolveu estudá-los. Atualizado com a Conhecimento da sua época, adotou o método experimental, que era o método utilizado pelas ciências de então. Mas logo nos primeiros resultados verificou que o método era inaplicável, pois que ele tinha a matéria como objeto, o que excluía o espírito, que era considerado "imaterial", e, desse modo, "inverificável". (2)

Assim, as observações não podiam ser feitas da mesma maneira, requeriam condições especiais e uma concepção diferenteMas a orientação metodológica da matéria havia provado sua eficiência, e Rivail resolveu desenvolver suas pesquisas utilizando o método experimental, aplicando a indução ao invés da dedução, e mudando o seu objeto. E o professor transformou o espírito, entidade metafísica, em objetivo específico da pesquisa científica, revelando as leis do mundo espiritual. (2)  (3)

Depois ele explicaria: As ciências vulgares repousam sobre as propriedades da matéria, que podemos manejar à vontade. Os fenômenos por ela produzidos têm como agentes forças materiais. Os do Espiritismo têm como agentes inteligências que possuem sua independência, seu livre-arbítrio, e de modo algum se submetem aos nossos caprichos. Escapam destarte aos nossos processos anatômicos ou de laboratório, bem como aos nossos cálculos e, por consequência, não são mais de alçada da ciência propriamente dita. (4)

Anos mais tarde, Rivail, já então assinando-se Allan Kardec, escreveria: 

Como meio de elaboração, o Espiritismo procede exatamente da mesma forma que as ciências positivas, isto é, aplicando o método experimental. Fatos de uma nova ordem se apresentam, que não podem ser explicados pelas leis conhecidas; ele os observa, compara, analisa e, remontando dos efeitos às causas, chega à lei que os rege; depois, deduz-lhes as consequências e busca as aplicações úteis. Não estabeleceu nenhuma teoria preconcebida; assim, não apresentou como hipóteses nem a existência e a intervenção dos Espíritos, nem o perispírito, nem a reencarnação, nem qualquer dos princípios da doutrina; concluiu pela existência dos Espíritos, quando essa existência ressaltou evidente da observação dos fatos; assim quanto aos outros princípios. Não foram os fatos que vieram a posteriori confirmar a teoria: a teoria é que veio subsequentemente explicar e resumir os fatos. É, pois, rigorosamente exato dizer-se que o Espiritismo é uma ciência de observação e não produto da imaginação. As ciências só fizeram progressos sérios depois que seus estudos se basearam sobre o método experimental; até então, acreditou-se que esse método não era aplicável senão à matéria, ao passo que o é igualmente às coisas metafísicas. (Grifamos.) (5)

(1) A aparência de Allan Kardec. Canuto de Abreu. C. Fraterno ABC, out/2001

(2) J. Herculano Pires. O método de Kardec. In A Pedra e o Joio,1975

(3) Canuto Abreu. A Revelação Espírita. In O Evangelho por fora, 2a. parte

(4) Allan Kardec. Intervenção da ciência no Espiritismo. Revista Espírita, Junho/1859

(5) Allan Kardec, A Gênese, Cap. I, 14, 1868.

Voltar


O Espiritismo em seu tríplice aspecto

"O Conhecimento pode assumir três aspectos ou estados: o Científico, o Filosófico e o Religioso." 

"No Espiritismo, a Ciência fornece as provas que convencem; a Filosofia, os elementos que esclarecem; a Religião, a moral que aperfeiçoa."


Da Ciência Espírita, nasceu a Filosofia Espírita. E, desta, nasceu a Religião Espírita. O Espiritismo é, pois, uma doutrina com aspectos científicos, filosóficos e religiosos. (1)

Chibeni (2) diz que essa caracterização do tríplice aspecto não pode ser encontrada exatamente nesses termos na obra de Kardec, e que ela, todavia, é correta e, em sua essência, está presente no pensamento do criador do Espiritismo e de seus mais lúcidos continuadores.

No entanto, o mesmo autor sugere que talvez devêssemos evitar a expressão "tríplice aspecto", pois ela pode dar a impressão que se trata de três elementos separados ou separáveis, que agrupamos apenas por conveniência, o que não é verdadeiro, pois eles estão inextricavelmente ligados.

Chibeni conclui deste modo sua tese:

Se pensarmos no Espiritismo em termos de filosofia, será uma filosofia apoiada em bases científicas, e que tem como um dos objetivos centrais o estudo das questões morais.

Se pensarmos em termos de ciência, não será uma pesquisa seca, que simplesmente constate e sistematize fatos, mas de uma investigação de longo alcance sobre um objeto de fundamental importância, o elemento espiritual. Essa ciência complementa, pois, as ciências acadêmicas, cujo objeto de estudo é o elemento material. E, pela própria natureza de seu objeto de estudo, a ciência espírita necessariamente diz respeito a tópicos genuinamente filosóficos, dentre os quais ressalta, por sua importância prática, aqueles referentes à moral. 

(1) Kardec e a Ciência Espírita In O Mistério do Bem e do Mal. J. Herculano Pires 

(2)Espiritismo em seu tríplice aspecto. Silvio S. Chibeni. In Reformador - Ago/Set/Out-2003

Voltar


Ciência e Ciência Espírita

A mediunidade é o meio direto de observação. O médium ─ permitam-nos a comparação ─ é o instrumento de laboratório pelo qual a ação do mundo invisível se traduz de maneira patente. Pela facilidade que ela nos oferece de repetir as experiências, permite-nos estudar o modo e as diversas nuanças dessa ação. Foi desses estudos e dessas observações que nasceu a ciência espírita.

(ALLAN KARDEC. Revista Espírita, Jan/1863)


A ciência é fruto da atividade científica, e caracteriza-se por dois aspectos complementares: uma teoria e uma prática.

A teoria é constituída por alguns princípios básicos, inalteráveis, e por outros princípios auxiliares, alteráveis para que se possam adaptar aos fatos. A prática consiste na procura de fatos que devem estar de acordo com a teoria, explicados por ela.

Existem, ainda, norteando a atividade, normas estabelecendo o que se deve e o que não se deve fazer (regras metodológicas). O corpo teórico deve também ter uma certa coerência interna e não se contrapor, frontalmente, com os equivalentes de outras ciências estabelecidas.

A ciência espirita apresenta também características tais como essas, classificando-se entre as ciências humanas — aquelas que tem por objeto central o ser humano em seus diversos aspectos, como a psicologia, a antropologia, a sociologia, a história, etc.

O laboratório da ciência espírita é o centro espírita. A mediunidade é o meio direto de observação. O médium é o instrumento de laboratório 

Nos centros espíritas estão os que conhecem a teoria e realizam a prática. Foi ali — nos centros espíritas — que ela foi feita e continua sendo feita. E não nos centros de metapsíquica ou de de parapsicologia, que não satisfazem os requisitos da atividade científica, pois essas não possuem uma teoria.

Uma ciência pode ser exposta por meio de seus princípios, e no caso da ciência espírita os princípios são estes:

  • Princípios básicos: existência, sobrevivência ou imortalidade, comunicação, reencarnação e evolução do espírito.
  • Princípios auxiliares: o perispírito e suas propriedades, a lei de afinidade, os fluidos e suas propriedades, etc.
  • Regras metodológicas: regras para a realização das reuniões mediúnicas, procedimentos a serem tomados para aceitação das comunicações mediúnicas (universalidade, coerência com os princípios e linguagem), certas atitudes morais.

(2) Baseado em Introdução à Ciência Espírita. Aécio P. Chagas. Lachâtre, 2004.

Voltar


Uma tese sobre a Revelação Espírita

Este livro é o repositório de seus ensinos. Foi escrito por ordem e mediante ditado de Espíritos superiores, para estabelecer os fundamentos de uma filosofia racional, isenta dos preconceitos do espírito de sistema. Nada contém que não seja a expressão do pensamento deles e que não tenha sido por eles examinado. Só a ordem e a distribuição metódica das matérias, assim como as notas e a forma de algumas partes da redação constituem obra daquele que recebeu a missão de os publicar.

ALLAN KARDEC. O Livro dos Espíritos, Prolegômenos


Na fase 'pré-espírita', a Revelação dos Espíritos foi 'doutrina científica', por ser calcada somente em fatos. Não chegou, porém, a ser um 'Ciência', no sentido moderno desta palavra.

Na fase 'espírita', apresentou-se como 'doutrina filosófica', por ser deduzida dos fatos e de instruções dos Espíritos. Não logrou, entretanto, ser uma 'Filosofia' na acepção atual deste vocábulo.

Na fase 'pós-espírita', tornou-se uma 'doutrina religiosa', por ser deísta, animista e moralista, contendo, assim, temas teológicos. Todavia não é uma 'Religião', segundo o conceito corrente do termo.

CANUTO ABREU. A Revelação Espírita. In O Evangelho por fora, 2a. parte

Voltar


Tábua de Assuntos

Nesta Série MPE - METODOLOGIA E PESQUISAS ESPÍRITAS, vamos tratar dos seguintes temas:

  • Documentação bibliográfica, técnicas de fichamento, anotações e elaboração de mapas mentais,  referenciação bibliográfica, obras espíritas de referência
  • Metodologia científica, teoria do conhecimento, epistemologia, crítica do conhecimento
  • Espiritismo e ciência
  • O Espiritismo em seu tríplice aspecto
  • Pesquisas científicas do paranormal

Voltar


MÓDULOS VINCULADOS

Instrutor Guima

Caro(a) leitor(a),

Os módulos vinculados a esta Seção I - METODOLOGIA E PESQUISAS ESPÍRITAS (MPE) estão nos links abaixo.


I1 - MÓDULO Técnicas de fichamento, anotações e mapas mentais

Instrutor Guima

Veja em meu site pessoal estes materiais de metodologia:

  • Fichamento e notas de leitura (aqui)
  • Anotações e esquemas (aqui)
  • Modelo de ficha de anotações (aqui)
  • Mapa mental (aqui)

Voltar


I2 - MÓDULO Conexões entre as Obras Básicas da Doutrina Espírita

Estudo de José Jorge, extraído dos Anais do ICEB, 1964/70, Rio de Janeiro, RJ. Veja (aqui)


I3 - MÓDULO O Livro dos Espíritos e seus desdobramentos

Estudo de Deolindo Amorim sobre as relações de O Livro dos Espíritos com outros livros das Codificação. Veja (aqui)

Voltar


I4 - MÓDULO Guia para Estudo da Doutrina Espírita

Livro de Vera Lúcia de Oliveira Garcia, que faz a conexão entre as 5 obras básicas do Espiritismo mais a 1a. parte de Obras Póstumas. Veja (aqui)

Voltar


I5 - MÓDULO Referências e pesquisas bibliográficas

Veja:

  • ONDE ENCONTRO Ferramentas para estudar e divulgar o Espiritismo (aqui)
  • ONDE ENCONTRO Obras Espíritas de Referência (aqui)

Voltar


I6 - MÓDULO Histórias de O Livro dos Espíritos

Os textos abaixo historiam como se deu surgimento e como foi elaborado O Livro dos Espíritos, por Allan Kardec, em meados do Século XIX.

Juntamos também artigos de Sílvio Seno Chibeni com detalhes pouco conhecidos das edições francesas de O Livro dos Espíritos.

Confira abaixo:

  • Os bastidores do Livro dos Espíritos (aqui)
  • Histórico de O Livro dos Espíritos (aqui)
  • 150 Anos de O Livro dos Espíritos - Paulo Roberto Viola (aqui)
  • Como foi escrito O Livro dos Espíritos - Jáder Sampaio (aqui)
  • O Método de Kardec para dialogar (Conversar) com os Espíritos - Marcelo Henrique Pereira (aqui)
  • O método de Allan Kardec para investigação dos fenômenos mediúnicos - Marcelo Gulão Pimentel - aqui
  • Kardec e a codificação do Espiritismo - Astolfo O.de Oliveira Filho (aqui)
  • Kardec, viga-mestre do Espiritismo - Marcelo Henrique Pereira (aqui)
  • A feitura de O Livro dos Espíritos (aqui)
  • Vídeo: O Livro dos Espíritos - Como ele foi elaborado (aqui)
  • Os expoentes da Codificação (aqui)
  • O prefácio de Kardec à segunda edição francesa de O Livro dos Espíritos. Sílvio S. Chibeni (aqui)
  • A Errata do Livro dos Espíritos - Sílvio Seno Chibeni (aqui)
  • A nota aos prolegômenos de O Livro dos Espíritos. Sílvio Seno Chibeni (aqui)
  • Os acréscimentos e modificações na 13ª edição francesa do Livro dos Espíritos. Sílvio Seno Chibeni (aqui)
    Sílvio Seno Chibeni (aqui)
  • Notas históricas e bibliográficas sobre edições francesas de O Livro dos Espíritos - Resgate histórico da 2ª edição de Le livre des Esprits (1ª impressão rara de 1860) (aqui)
  • O nascimento do Espiritismo - A importância de conhecer como foi elaborada a 1a. edição de O LIVRO DOS ESPIRITOS - Wladimyr Sanches - aqui

   


  • ​Veja também informações sobre
  • O LIVRO DOS ESPÍRITOS E SUA TRADIÇÃO HISTÓRICA E LENDÁRIA, de Canuto Abreu (aqui)
  • O LIVRO DOS ESPÍRITOS, de Allan Kardec - Edição da FEB comemorativa dos 150 anos de seu lançamento (aqui)

Voltar


LINKOTECA

ARTIGOS E TEXTOS

  • O Espiritismo é uma ciência positiva - Allan Kardec (aqui)
  • Laboratório de Allan Kardec - Evandro Noleto Bezerra (aqui)
  • Por que Allan Kardec? Sílvio S. Chibeni. Reformador Abril/1986 (aqui)
  • Ciência Espírita. Sílvio S. Chibeni. Revista Internacional de Espiritismo Mar-1991 (aqui)
  • O Espiritismo em seu tríplice aspecto: científico, filosófico e religioso. Reformador Ago/Set/Out-2003. Sílvio S. Chibeni . (aqui)
  • A excelência metodológica do Espiritismo. Reformador. Nov/Dez-1988. Sílvio S. Chibeni (aqui)
  • O paradigma espírita. Reformador Junho/1994. Silvio S. Chibeni (aqui)
  • As relações da ciência espírita com as ciências acadêmicas. Silvio Seno Chibeni  (aqui)
  • A Ciência confirma o Espiritismo? Aécio P. Chagas (aqui)
  • As provas científicas. Aécio P. Chagas (aqui)
  • A maior aventura psíquica, em nível de Ciência, de que se tem notícia. Ney da Silva Pinheiro (aqui)
  • Teorias espíritas e rigor científico - Astrid Sayegh (aqui)
  • O Espiritismo é ciência - Angélica dos Santos Simone (aqui)
  • Algumas considerações oportunas sobre a relação Espiritismo-Ciência. Ademir L. Xavier Jr.  (aqui)
  • Metodologia e Critérios utilizados na Codificação Espírita (aqui)
  • A ciência espírita na Codificação - Tadeu Sabóia - (aqui)
  • Ciência, Filosofia ou Religião? Décio Iandoli Jr. (aqui)
  • Construção do conhecimento espírita - Albino A. C. de Novaes (aqui)
  • Metodologia científica, Espiritismo e NEU-RJ - Djalma Argollo (aqui)
  • Conhecimento e verdade - Dalmo Duque dos Santos (aqui)
  • Verticalizar para Enxergar - Dalmo Duque dos Santos (aqui)
  • Preservação do Tríplice Aspecto nas Exposições Doutrinárias - Ricardo di Bernardi (aqui)
  • A Síntese Kardequiana - Maurice Jones (aqui)
  • Perfil da pesquisa acadêmica brasileira com temática espírita. Marco Antonio Figueiredo Milani Filho  - Entrevista Folha Espírita (aqui)
  • Autoridade do Controle Universal dos Ensinamentos dos Espíritos: Autoridade da Doutrina Espírita - Erika Renata Dias de Araújo - (aqui)
  • Controle Universal hoje? - Sérgio Aleixo (aqui)
  • O Controle Universal dos Ensinos dos Espíritos e a Fastidiosa Arenga Antifebiana - Jorge Luiz Hessen - (aqui)
  • A Mediunidade e a Psicanálise. Sérgio Felipe de Oliveira - Entrevista (aqui)
  • Deus e a nova física - C. B. Imbassahy - Entrevista (aqui)

CIÊNCIA ESPÍRITA

  FILOSOFIA ESPÍRITA

MEDICINA E ESPIRITUALIDADE

Veja também:

  • Revista Saúde & Espiritualidade - AME/Brasil (aqui)
  • Banco de teses - AME/Brasil (aqui)
  • AME/MG - Curso de Princípios Básicos (aqui)
  • AME/RS - Publicações (aqui)
  • E-book: A natureza imaterial do homem: estudo comparativo do vitalismo homeopático com as principais concepções médicas e filosóficas. Marcos Zulian Teixeira - (aqui)

Voltar


BIBLIOTECA DIGITAL

  • Veja obras espíritas disponíveis on-line (aqui)

VIDEOTECA

  • Por que o Espiritismo é Ciência, Filosofia e Religião? Paulo Henrique Wedderhoff (aqui)
  • Espiritismo: Ciência, Filosofia e Religião à Luz do Espiritismo - Divaldo Franco (aqui)
  • A Ciência e as Sessões Espíritas - Documentário BBC - Youtube (aqui)
  • Médiuns e Mediunidade - Dr. Sergio Felipe de Oliveira (aqui)
  • Glândula Pineal - Sérgio Felipe de Oliveira (aqui)

Voltar


BIBLIOGRAFIA

Voltar


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Publicado por ALGuimaraes em 05/01/2016 às 21h46

Os Curadores do Senhor R$20,00
Abigail [Mediunidade e redenção] R$20,00
Menino-Serelepe R$20,00